Bissau Perspective número 5

Autor: Revelina Tigna; Categoria: Crónicas; Comunidades: Guiné-Bissau; Idioma: Português; Data: 12-10-2016 às 08:50



Etnicidade na Guiné-Bissau



É muito interessante esta nossa diversidade étnica que nos representam como um povo de cultura e de tradições. Para quem não sabe a Guiné-Bissau é constituído por 41 etnias que compõem o povo daquele lindo país se acrescentamos a etnia Caboverdiana, fazendo-se o mosaico do mapa cultural. Em cada traço de filhos da Guiné-Bissau existe uma beleza representada, belezas únicas que representam cada etnia que juntos constituem o povo Guineense em diferentes manifestações morfológicas.
Neste caso vou dar exemplo de uma das etnias que é a etnia papel (pepel). Embora esta etnia seja exposto durante 5 séculos, conseguiu persistir estes tempos todos mantendo às suas raízes autóctones.
Começando pela matrizes da representação no culto do pano e da nudez no casamento.
O culto de circuncisão (fanado), de dança, e de cerimónias tradicionais.
O culto de tecelagem (tisidur di pano) e uma das características destes cultos é a lavoura e a pesca. E é uma etnia que sempre teve um papel importante na primazia da emigração interna levando-se consigo as suas matrizes de representação.
Na sul/Tombali - fazem artesão de ferraria para lavoura.
Quinará - criação de grupos de lavradores.
Bedanda - cultivadores de mandioca e igualmente em M'pada, Can e Batambali onde tem concentração de pescadores e tecelagem.
Bolama - antigo inter-posto colonial, a concentração dos papeles é na produção do cajú e nas Ilhas bijagós. É na produção de óleos de palma e os seus derivados e é nestas mesmas ilhas que saem 80% de palha que cobre às casas em Biombo e sem esquecer o famoso Djiu di Galinha.
Na região Norte estão situados em Psis - onde fazem pescas e extrações de óleos de palma.
Cachéu - pesca e tecelagem e Canchungo idem... Entre outros.
Em resumo é uma etnia trabalhadora e de energia vibrante que mantém uma relação recíproca com a terra endógena.
Agora, é uma sociedade clássica na sua representação hierárquica suportado na base monárquica embora, respeitando o termo por conceito. Esta etnia é representado por régulos que em outras palavras são considerados Reis que tem a sucessão por membros da família (djorson) e djorson significa divisão clássica e de supremacia de dominação entre às divisões para um reinar segundo o interesse maior. Esta é só uma pequena descrição de uma etnia tão rica e original na sua originalidade.
A Guiné-Bissau é um país rico pela suas histórias e pelas suas etnias. É com as nossas histórias que podemos conhecer a verdadeira Guiné-Bissau construindo um compêndio que nos ajude a compreender a melhor Etnicidade de um povo que é a Guiné-Bissau. O problema não está nas etnias, o problema está nas pessoas que associam os seus interesses às etnias.
Vamos viver e representar o que temos de bonito que é a nossa cultura.


Comentar







Voltar página anterior